Livro para o público infantojuvenil. A narrativa se dá por meio de cartas trocadas entre duas amigas chamadas Marias, uma no Brasil e a outra no país africano, nestas elas compartilham o mundo vivenciado em meio aos costumes, às línguas locais e aos demais elementos culturais de Guiné-Bissau.  O livro tentar destacar a multiplicidade das culturas brasileiras e das culturas africanas ? sempre no plural, já que não se pode falar de cultura no singular. 

CAPA frente CARTAS E MARIAS.jpg

Carta entre Marias: Uma Viagem à Guiné Bissau

 

Autora: Virginia M Yunes

Editora: Cuca Fresca, 3 ed. (2018)

Capa comum: 40p.

Dimensões: 24 x 16 cm

ISBN: 978.85.87140.58.6

Florianópolis, SC.

R$ 38
WhatsApp Image 2019-06-25 at 12.58.59.jp

Dona Fulana morreu e levou consigo tudo o que aprendeu? Contos e fotografia de benzedeiras e benzedeiros da Ilha de Santa Catarina


 

Autoras: Marta Magda A Machado e Virginia M Yunes

Editora: Traços & Capturas (2019)

Capa comum: 158 p.

Dimensões: 21 x 21 cm

ISBN: 978.85.65244.14.5

Florianópolis, SC

R$ 60

O livro traz contos e fotografias sobre benzedeiras e benzedores da Ilha de Santa Catarina. Resultado da parceria das duas pesquisadoras de diferentes áreas de atuação profissional e artística, a obra procura ser uma resposta contemporânea para o conhecimento, o registro e a salvaguarda das narrativas, das práticas de benzedura e dos modos de vida locais dessas figuras populares nos diversos bairros da cidade. Os contos e as fotografias descrevem e retratam em detalhes como são as benzeduras, as moléstias às quais elas atuam como uma alternativa de cura e os contextos em que as mulheres e os homens de reza exercem o seu saber e poder pelo gesto de abençoar e afastar os males da alma e do corpo, protegendo a vida e servindo em favor da saúde e felicidade das pessoas, dos animais, da natureza e das suas comunidades. Com uma investigação longa e cuidadosa, os estudos da antropóloga e da fotógrafa têm por objetivo preservar, difundir e valorizar esse legado que, por vezes, parece permanecer invisível às gerações atuais. E que, no entanto, mantém vivas a memória e a história da gente e das configurações locais onde costume e práticas revelam as inúmeras peculiaridades socioculturais de cada lugar de Florianópolis.

CATUMBI_Virginia Yunes_.jpg

Catumbi de Itapocu: tradição e fé na cultura popular afro-brasileira

Autora: Virginia M Yunes

Editora: Edição de Autor (2020)

Capa comum: 126 p.

Dimensões: 21 x 21 cm

ISBN: 978.65.00.11237.5 

Florianópolis, SC

R$ 50

A dança do Catumbi acontece todos os anos na localidade de Itapocu, ao norte do estado de Santa Catarina. É uma tradição religiosa afro-brasileira em homenagem à Nossa Senhora do Rosário, considerada padroeira dos africanos escravizados e seus descendentes. A sua origem remonta ao tempo da escravidão brasileira, e a sua história permanece viva há várias gerações, revelando-se um importante símbolo de fé, resistência e organização popular. Reconhecida em 2018 como Patrimônio Cultural do Estado de Santa Catarina, o Catumbi reafirma a identidade negra no Brasil, ao valorizar a sua ancestralidade africana, as suas traduções interculturais e hibridismos. O livro é fruto do Prêmio Elisabete Anderle de Apoio à Cultura/2019, promovido pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) executado com recursos do Governo do Estado de Santa Catarina que a fotógrafa foi contemplada.

 

1/13